segunda-feira, 24 de julho de 2017

Parecer e ser


Realmente ‘parecer’ e ‘ser’ são coisas distintas. Frequentemente, deixamo-nos enganar pelas aparências ou pelo exterior e não procuramos saber o que na verdade é.

Nem tudo o que parece é. Esta ideia de que não se deve acreditar em tudo o que se vê é, muitas vezes, transmitida pelos nossos pais, pelas autoridades e pelos adultos em geral. Especialmente agora que vivemos num mundo cada vez mais global e em que dependemos excessivamente das redes sociais, estamos sujeitos a ser iludidos por pessoas que se querem fazer passar por outras. Nestas situações, as consequências podem ser muito perigosas, porque as vítimas mais frequentes são as crianças e os jovens que, por terem menos noção do perigo, acabam por deixar-se levar pelas aparências.

«Nem tudo o que brilha é ouro.» Esta é outra forma de exprimir a mesma ideia. Todos os dias somos confrontados com anúncios publicitários que vão desde os artigos de saúde, a viagens e carros de topo de gama. Na maioria das vezes, apercebemo-nos de que se trata de publicidade enganosa, mas o poder do marketing é tão grande que nos leva a adquirir o produto, mesmo sabendo que não é assim tão eficiente como dizem. Por exemplo, há certas publicidades de gelados que apresentam imagens muito apelativas. No entanto, quando vamos comprá-los, são extremamente calóricos, o sabor não é nada de especial e têm o tamanho de uma colher.

Tudo isto para dizer que é muito fácil confundir o ser e o parecer. O importante é estarmos atentos e saber distinguir estas duas dimensões.


Lourenço Barreto
Escola Básica dos 2.º e 3.º Ciclos dos Louros

Sem comentários:

Enviar um comentário